ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Mensagem por PG em Sex Nov 27, 2015 11:12 pm

Boa noite pessoal,


A algum tempo eu venho pesquisando sobre algo pouco comentado, mas ao mesmo tempo muito buscado pelos usuários de nootrópicos em geral, a ciLTP (Chemically Induced Long Term Potentiation), ou Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida. E eu gostaria de compartilhar um pouco das minhas conclusões com vocês.


Pois bem, antes de nos aprofundarmos na parte química, gostaria de introduzir vocês à LTP (potenciação a longo prazo), que é fundamental para o aumento do desempenho cognitivo, uma vez que ela é a responsável pelo aumento do I/O de informação que passa pelos seus neurônios, e que é responsável justamente pela melhor formação de novas memórias a longo prazo, e também o recall dessas informações.

Vamos falar um pouco sobre alguns termos necessários para se entender a LTP:
Sinapse (Fenda Sináptica): 
É nesta área que toda mágica acontece, pois é a zona ativa de comunicação entre um neurônio pré-sinaptico (quem envia os impulsos elétricos) e o pós-sinaptico (o que recebe o impulso), e é exatamente onde se encontram os neurotransmissores e seus respectivos receptores.

Plasticidade Funcional da Sinapse: 
O cérebro em si é um mecanismo plástico, ou seja, ele se transforma constantemente para se adequar ao acúmulo de novas informações, e dentre os tipos de plasticidade que nele ocorrem, vamos destacar a plasticidade funcional. Este é um termo usado para dar a noção de que existe alteração na funcionalidade das suas sinapses, que pode deixá-la mais ou menos potente (LTP/LTD) de acordo com o quanto você utiliza aquela rede neural específica. Quanto mais o Neurônio A (pré-sinaptico) estimula o neurônio B (pós-sinaptico), maior é a ligação entre eles, ou seja, o impulso elétrico gerado em A, chegará mais potente ao neurônio B. 
Se você ja ligou os pontos até aqui, é exatamente nisto que queremos chegar!


LTP (Long-Term Potentiation - Potenciação a longo prazo):
Como diria Hebb, “Fire together, wire together”. Mas o que isso significa exatamente?
Essa expressão define perfeitamente a LTP,  dizendo que "neurônios que disparam juntos, ligam-se juntos”.
Ou seja: Sempre que o
 Neurônio A (pré-sinaptico) estimula o neurônio B (pós-sinaptico) continuamente e repetidamente, durante um longo período tempo, alguma mudança estrutural ocorre que acaba por facilitar a comunicação entre estes dois neurônios específicos, tornando esta sinapse mais eficiente. Este processo ocorre nos neurônios Glutamatérgicos e é essencial na formação de memórias a longo prazo.
É por isso que você perde informações que você não acessa constantemente, por falta de estimulação da sinapse específicas relacionada à aquela memória, que por falta de LTP não entram para sua memória de longe prazo. Por isso você não deve se lembrar muito bem das aulas de historia do ensino médio, ou a fórmula de bháskara de cabeça, a não ser é claro que você seja um estudante da área.




Até aqui você ja deve ter percebido a importância da LTP para os resultados que todos buscamos, que é o aumento da capacidade cognitiva, memória, ou, simplificando, um melhor I/O de informações dentro do seu cérebro. Então resta saber como induzir a este resultado:



As primeiras formas de LTP induzida foram feitas eletricamente em laboratório, estimulando os neurônios artificialmente através de eletrodos conectados aos terminais do par de neurônios a ser estudado. Após os cientistas estimularem repetidamente e suficientemente primeiro o A (pré-sináptico), seguido do B (pós-sináptico), por um certo período de tempo, eles descobriram ao medir o sinal elétrico recebido pelo neurônio B, que havia uma intensificação neste sinal, o que indicava um aumento na eficiência daquela sinapse.

O que restava a eles descobrirem, era qual exatamente era a alteração física que ocorria nas sinapses que permitia essa melhor conexão entre os neurônios. E nós sabemos hoje que a melhora na eficiência da sinapse, é fruto de alguns fatores que ocorrem dentro dela mesma, como:


* Surgimento de novos receptores na membrana celular pós sináptica, o que faz com que o neurônio B receba mais neurotransmissores emitidos pelo neurônio A, o que resulta na melhor utilização dos seus transmissores.


Aumento da liberação de neurotransmissores do neurônio A, ou seja, com o mesmo potencial, com a mesma corrente que antes era liberado X transmissores do neurônio A, ele passa então a liberar 2X neurotransmissores (não nesta exata proporção).



Quem chegou até aqui, deve estar se perguntando o óbvio, “Como eu posso induzir essa LTP sem precisar implantar eletrodos no meu cérebro?”. E este é exatamente o meu ponto!
Quem já se interessou em estudar a fundo o mecanismo de ação de ampaquinas, sabe que elas funcionam teoricamente "modulando" receptores, justamente de Glutamato: AMPA e NMDA, ou seja, deixando-os mais sensíveis aos transmissores, e consequentemente facilitando a comunicação neural.


Tendo isto em mente, vamos então deixar de lado a parte teórica, e vamos nos aprofundar na prática!


Você ja deve ter ouvido falar que o Glutamato é o responsável pela memória a longo prazo, principalmente se você ja assistiu ao VIDEO 2 do nosso moderador Padalino sobre neurotransmissores, onde ele fala exatamente isso com muitos detalhes! Os principais receptores de Glutamato, como já vimos, são dois: o AMPA (que permite a passagem de Na+) e o NMDA (que permite a passagem de Ca2+), vamos falar muito sobre eles neste tópico. Mas como isso tudo se liga? Vamos primeiro entender o que é uma CILTEP stack, como ela funciona, e qual a minha teoria com relação à ampaquinas em sinergia com esta combinação:


O termo CILTEP se popularizou depois que uma marca lançou um produto (stack) com este nome, se referindo exatamente à LTP quimicamente induzida. O modo de funcionamento dela é através do aumento da concentração de Monofosfato Cíclico de Adenosina (cAMP), que é um segundo mensageiro utilizado na maior parte dos receptores metabotrópicos do nosso cérebro, e é exatamente quem faz a comunicação dentro da célula (Transdução de sinais químicos/elétricos). 


O cAMP tem ainda a função de ativar uma enzima chamada quinase A (PKA) cuja função é a de fosforilar canais de (Ca2+) [receptores NMDA] (!)
Além destas funções, existe ainda uma proteína dependente da cAMP, chamada CREB (cAMP response element-binding protein), que é essencial para a segunda fase da LTP (veremos em breve).
Esta stack então aumenta esta concentração de cAMP de dois modos: Com uma substancia que aumente a produção do próprio cAMP na célula (Forskohlii), e outra que iniba a fosfodiesterase-4 (PDE-4), enzima responsável pela quebra da cAMP (O flavonoide Luteolin, geralmente obtido do Extrato de Alcachofra), o que aumente ainda mais a concentração do segundo mensageiro. Sinergia total certo?


Bom, este é o modo como esta stack trabalha, e você pode achar esta informação mais detalhada em qualquer fonte relacionada a nootrópicos. Mas meu ponto aqui é como melhorar ainda mais esta sinergia, utilizando Ampaquinas, em especial o Noopept, e eu vou te mostrar o por quê!


O que passa despercebido, é que na verdade, o receptor NMDA é um receptor de abertura lenta, pois ele tem o seu canal iônico bloqueado por uma molécula de [Mg2+] em primeira estância, e esta molécula só é repelida através de um processo chamado de repulsão eletromagnética, que só ocorre quando já existe um potencial suficiente no interior da célula (gerado pela abertura de canais de [Na2+] receptores AMPA (abertura rápida)). Isto torna o NMDA dependente do AMPA. Este vídeo ilustra muito bem este processo em ação:






Mas e daí? Os receptores AMPA não bastam para a indução da LTP? A resposta é: NÃO!


Não são os receptores NMDA os responsáveis por permitir a passagem de íons de Cálcio [Ca2+]? Pois bem, este é o gatilho para a LTP entrar em ação.
Uma vez que o cálcio adentrou a célula, ele vai dar início à primeira fase da LTP, que é quando ele se liga à proteínas específicas,  gerando novos receptores AMPA na membrana pós-sináptica do neurônio B, o que por sua vez irá permitir futuramente a entrada de ainda mais (Na+) para despolarizar o neurônio B! Contudo, este processo dura apenas algumas horas, ou seja, estes receptores não são definitivos, só vão ser úteis para este "efeito cascata” na célula, que vai permitir que cada vez mais íons adentrem o neurônio pós-sináptico, causando cada vez mais despolarização.


Após esta primeira fase, entra em ação a segunda fase da LTP, esta sim é o clímax do aprendizado! Na segunda fase o cálcio vai se ligar novamente, mas com alguém que nós ja comentamos lá em cima, e então tudo vai passar a fazer sentido! Eu estou falando da proteína CREB, aquela dependente de cAMP! Quando esta ligação é realizada, ela resulta na criação de ainda mais receptores AMPA, além de contribuir para o aumento na síntese de proteínas chamadas Growth Factor (Fator de Crescimento), que está envolvida na formação de novas sinapses, uma vez que, como seu próprio nome sugere, ela auxilia no crescimento de novas espinhas dendríticas (O input de informações dos seus neurônios)! E o mais importante, este resultado tem duração de 24 horas até uma vida inteira. E é claro, a criação de novas sinapses está envolvida diretamente no processo de aprendizagem. Este processo é chamado de Plasticidade Sináptica (não confundir com a plasticidade funcional).


Está aí então a conexão entre tudo que nós revisamos aqui, desde a utilização do glutamato, até o aumento da concentração de cAMP, efeito da stack CILTEP! E é aí que entra minha tese! Como já vimos, os receptores NMDA tem uma ativação lenta e dependente dos receptores AMPA, e é exatamente esta dificuldade na abertura dos canais de [Ca2+] que queremos burlar com as Ampaquinas! Se elas são responsáveis por modular os receptores de glutamato, assim facilitando a entrada de mais íons, ela parece ser a peça que falta no processo da ciLTP! E eu apostaria no uso do Noopept para esta função, pela afinidade que ele tem não só com os receptores AMPA, mas também com os NMDA! O cálculo é simples: [Aumento de Ca2+] + [Aumento na concentração de cAMP (= aumento de CREBs)] = Mais LTP!


Conclusão: As ampaquinas parecem se encaixar perfeitamente no processo de Potenciação a Longo prazo Quimicamente Induzida, por modular os receptores glutamatérgicos nas células pós-sinápticas, facilitando a passagem de (Ca2+) pelos canais dos receptores NMDA, e consequentemente, junto com o aumento na concentração de cAMP, induzir à LTP.


Pra quem leu até aqui, muito obrigado pela atenção, e espero que isso seja útil para as pesquisas de todos os interessados na área.


Vale lembrar que eu não sou um profissional da área, apenas um entusiasta no assunto por enquanto, e que isto é uma TESE, e não um artigo científico, o que deixa esta matéria suscetível a erros.  Além de que a LTP não se resume apenas ao que foi citado aqui, e que ainda há muito a se descobrir sobre o processo de aprendizagem no cérebro humano!
Esta combinação ainda não foi testada, mas assim que eu o fizer, compartilharei os resultados aqui no Forum!


Muito obrigado novamente, e desejo a todos bons estudos e ótimos resultados!


PG






Referências:


http://www.jneurosci.org/content/20/1/89.long
http://jn.physiology.org/content/91/5/1955.long
http://www.ibb.unesp.br/Home/Departamentos/Fisiologia/Neuro/04.sinapse.pdf
http://www.jneurosci.org/content/26/7/2000.short
https://www.youtube.com/watch?v=vso9jgfpI_c
http://www.smarternootropics.com/2013/09/justus-modified-ciltep-review-sources/


Última edição por PG em Qua Fev 03, 2016 8:36 pm, editado 6 vez(es)

PG
Admin

Mensagens : 17
Data de inscrição : 11/11/2015

Ver perfil do usuário http://nootropicosbrasil.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Mensagem por Leandro muniz em Sab Nov 28, 2015 12:38 am

Booa PG, bom tema, ótimas referencias, continue assim que você vai longe.

Leandro muniz
Member

Mensagens : 1
Data de inscrição : 28/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Mensagem por FelipeFS em Sab Nov 28, 2015 1:40 pm

Ótima abordagem PG, texto muito interessante.

FelipeFS
Member

Mensagens : 1
Data de inscrição : 28/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Mensagem por PADALINO em Ter Dez 01, 2015 6:27 am

Achei excepcional.

Além de excelentes escolhas de referências bibliográficas o texto está de fácil entendimento,fico também muito agradecido de ter sido citado.

A tese ao meu ver está 100% correta, os estudos embasam e na prática é isso mesmo.

Não apenas o cérebro, mas o organismo humano como um todo é extremamente adaptável, um simples comportamento pode gerar uma nova conexão neural, esta, pode induzir novamente ao comportamento, fortificando o processo em um ciclo vicioso.

É legal saber disso, pq literalmente podemos programar e reprogramar nossa mente, memória, cognição, etc.. se soubermos como funcionam os processos.

Agora com o texto temos um bom norte para potencialização de memória!!

Vlw PG!

PADALINO
Moderador Global

Mensagens : 2
Data de inscrição : 19/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Mensagem por MuriloS em Qui Dez 03, 2015 9:14 pm

Otimo texto PG, muito bem explicado, com detalhes de facil entendimento. Inclusive, eu, leigo no assunto, pude criar novas conexoes entre meus pré e pós-sinápticos com essas informacoes!

Valeu!

MuriloS
Member

Mensagens : 1
Data de inscrição : 03/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ciLTP - Potenciação a Longo Prazo Quimicamente Induzida (CILTEP)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum